Posts com Tag ‘samaúma’


O projeto Samaúma – Jornada de Produção Audiovisual em infocentros por pontos de cultura e cineclubes” realizou a segunda jornada de oficinas em Marabá de 16 a 27 (Infocentro do Ponto de Cultura Galpão de Artes de Marabá), com oficinas de Roteiro e Direção de Vídeo; Produção e Finalização de Vídeo; Produção e Edição de Áudio; e Criação e Manutenção de Site.

Na oficina foram produzidas 10 roteiros que resultaram em 10 vídeos e 10 áudios que será exibido na mostra dos resultados do projeto que acontecerá no dia 30 de novembro à partir das 18horas no Galpão de Artes de Marabá, com entrada franca. “A expectativa é que os participantes atuem como produtores de conteúdos audiovisuais junto às organizações que os indicaram, e passem a produzir conteúdo para publicação na internet”, compartilha Samir Raoni, coordenador do projeto.

A mostra dos vídeos e áudios produzidos nas oficinas do projeto pelo participantes, será realizada através da parceria com o Cine Carajás (coordenado pelo Botelho Filho) e Circuito Audiovisual do Festival de Artes Inegradas Circuito Polifônico e projeto Samaúma.

A mostra acontece por meio da parceira com a (APJCC), Rede Norte de Cineclubes e a produtora independente Sr. Cheff Produções, que cedeu os direitos de exibição do filme “D. Juan”, na programação oficial das jornadas do projeto. de Mateus Moura,

O filme do jovem cineasta Mateus Moura, integrante da Associação e idealizador da produtora, representa bem o que o projeto semeia: a produção independente e colaborativa, aproveitando a rede solidária, e demonstrando que é possível realizar grandes projetos se aproveitarmos os recursos e inteligência coletivos.

O projeto Samaúma tem como meta produzir 30 vídeos e 30 áudios de curta duração para serem exibidos na TV Cultura e em telões nas áreas de acesso público do Programa NAVEGAPARÁ, visando socializar a produção com a população local e despertar o interesse da coletividade pela cultura digital.

SERVIÇO

Mostra Samaúma Audiovisual

30 de Novembro

às 18H

Galpão de Artes de Marabá

ENTRADA FRANCA

Realização: Samaúma e Cine Carajás
Parceria: SR. Cheff Produções, Circuito Polifônico e Rede Norte de Cineclubes

 

Publicado: 23 de novembro de 2010 em Artes Cênicas, Artes Visuais
Tags:, ,

Ananindeua, Marabá e Xinguara

Foto: Samir Raoni, Meeking Off filme D. Juan, de Mateus Moura

O Circuito Audiovisual do Festival tem o desenvolvimento sociocultural como bandeira e a prática como princípio. Sendo assim, por meio da parceira com a produtora independente Sr. Cheff Produções e com a Associação Paraense de Jovens Críticos de Cinema (APJCC), estão incluídas na programação oficial das jornadas com a produção do filme D. Juan , de Mateus Moura, integrante da Associação e idealizador da produtora.

O filme representa bem o que o festival semeia: a produção independente e colaborativa, aproveitando a rede solidária, e demonstrando que é possível realizar grandes projetos se aproveitarmos os recursos e inteligência coletivos.

D. JUAN, de Mateus Moura, será exibido nas três cidades que recebem o Circuito, pertencente a gama de ações prévias do Festival de Artes integradas Circuito Polifônico que continua com a realização de três jornadas de produção audiovisual: em novembro, as atividades acontecem em Belém (10 a 16) e Marabá (17 a 28); em dezembro, é a vez de Xinguara  (2 a 12).

SERVIÇO

30 de Novembro

às 18H30

No Ponto de Cultura Galpão de Artes de Marabá

ENTRADA FRANCA

Realização: Samaúma – Jornada de Produção Audiovisual e Circuito Polifônico
Parceria: SR. Cheff Produções, APJCC e Rede Norte de Cineclubes

Estão abertas inscrições para as oficinas do projeto SAMAUMA, uma das ações colaborativas do Programa NAVEGAPARÁ. O projeto vai capacitar sessenta pessoas nas técnicas de produção de vídeos, áudios e sites, mobilizando pontos de cultura, cineclubes e escolas a produzir conteúdos para exibição no programa “Ponto de Cultura Pará” da TV Cultura do Pará e também para publicação na internet.

O projeto “SAMAUMA-Jornadas de produção audiovisual em infocentros por pontos de cultura e cineclubes” vai realizar três jornadas de produção de audiovisual com oficinas de Roteiro e Direção de Vídeo; Produção e Finalização de Vídeo; Produção e Edição de Áudio; e Criação e Manutenção de Site. As jornadas vão acontecer em Ananindeua (Infocentro do Ponto de Cultura Ananin) no período de 10 a 14 de novembro; em Marabá (Infocentro do Ponto de Cultura Galpão de Artes de Marabá) de 16 a 21 de novembro e em Santarém (Infocentro do Pontão de Cultura Digital do Tapajós), de 5 a 10 de dezembro. Os participantes das oficinas têm que ter algum tipo de vínculo com infocentro, ponto de cultura, cineclube ou escola do projeto “Escolas de Portas Abertas”. A expectativa é que elas atuem como produtoras de conteúdos audiovisuais junto às organizações que os indicaram.

O projeto tem como meta produzir 30 vídeos e 30 áudios de curta duração para serem exibidos na TV Cultura e em telões nas áreas de acesso público do Programa NAVEGAPARÁ, visando socializar a produção com a população local e despertar o interesse da coletividade pela cultura digital. O “Manual de Produção em Software Livre” será distribuído aos participantes das oficinas e disponibilizado para download, visando disseminar o uso dos softwares livres. Também vão ser criados trinta sites como ferramentas de publicação de conteúdos audiovisuais e como estratégia de visibilidade das ações socioculturais dos parceiros do projeto. O “Mapa Olha Nós na Mídia”, um guia de sites e portais colaborativos de webradio e webtv, é outra ferramenta que o projeto vai adotar para estimular a publicação de conteúdos audiovisuais na internet através da rede de infocentros, escolas, pontos de cultura e cineclubes.

O Projeto SAMUAMA foi selecionado através de edital de apoio a projetos para ações colaborativas em Infocentros lançado pela FAPESPA – Fundação de Amparo à Pesquisa do Pará, órgão do Governo do Estado do Pará. O projeto é coordenado pelo educomunicador Samir Raoni e tem como parceiros o Pontão de Cultura Rede Juvenil, Pontão de Cultura Pororoca da Cidadania, Pontão de Cultura Digital do Tapajós, Coletivo Pogobol, Circuito Polífônico, Associaação Paraense de Jovens Críticos de Cinema, Sr. Chefe e Rede Cine Norte.

SERVIÇO: A inscrição na jornada de oficinas é gratuita e pode ser feitas pelo site www.redecom.org.br. Informações pelo e-mail samaumacoletivo@gmail.com e pelos fones (91) 8154-1386 e (91) 9245-7985.

INSCREVA-SE (AQUI)

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Este vídeo foi produzido na feira de orgânicos que acontece todo mês na Praça Batista Campos, Belém-PA. O objetivo foi ouvir quem consome e quem produz alimentos naturais e orgânicos, pois sabemos que a alimentação saudável é fundamental para quem aspira uma melhor qualidade de Vida.<br>Entrevistamos cinco produtores / consumidores para falar de suas práticas ecológicas.

Edição – Rafael de Rivera

Roteiro – Samir Raoni e Rafael de Rivera

Entrevista – Andréia Silva, Higor Tohany e Samir Raoni

O sítio Refazenda, é um espaço de 3,6 hectares, onde são exercidos os  conceitos emergentes de sustentabilidade humana focada na Permacultura como: Casas bio-construídas e bio-climatizadas, telhados vivos, cozinha e galinheiro ecológicos, banheiro compostável, bioremediação de águas servidas, hortas-mandala, cultivo de plantas de uso alimentar, fitoterápico, aromático, paisagístico, fogão e forno de barro e viveiro de mudas; demonstrando na prática como é viver sustentavelmente. A proposta principal é formar um exemplo vivo onde as tecnologias interagem em harmonia com a natureza. Conta Rafael de Rivera – Coordenador Pedagógico do Coletivo Samaúma.
Após quase um ano de planejamento e construção, o Sítio Refazenda, convida os parceiros potenciais para um dia interativo, abrindo suas hortas, igarapés e trilhas para visitações, vivências e cursos.
O dia começou com a Roda dos Jardineiros (as), dinâmica realizada por Samir Raoni, cordenador de Cultura de Paz do Coletivo Samaúma – Arte Educação Ambiental, pertencente a organização não-governamental Argonautas Ambientalistas da Amazônia, que integra o conselho gestor do Sítio Refazenda.
A Roda dos Jardineiros começa com uma reflexão sobre a origem das rodas e sua importância para relações mais solidárias e humanas, “ a roda não tem tamanhos maiores nem menores. É proporcional em todas as suas dimensões. As rodas geram os ciclos dos anéis universais, dos sistemas solares às galáxias, as proporções moleculares e  tantos outros processos naturais. A roda é o elo de ligação, é a representação das redes, é o simbolo das mandalas que representam a perfeição das proporções em si” reporta Samir Raoni para o núcleo de comunicação do Samaúma.
Em seguida ouve um diálogo sobre os princípios éticos da permacultura ministrada pelo Fernando Paraense (Nando). Este falou da deturpação do termo ecologia, refletiu os três princípios da permacultura, da importância da economia solidária, das agroflorestas, energias limpas e explanou sobre sua experiência em ter construído um ambiente sistêmico. Foi um momento de interação, reflexão de uma nova postura para nossos atos de consumo e interação com o meio ambiente.
Após temos refletido sobre práticas ecológicas, todos foram convidados a um almoço com alimentos integrais e orgânicos.
Estando todos bem nutridos, o grupo foi adentrar a floresta conhecer as trilhas, o igarapé, relaxar ouvindo som de passarinhos, pés nas folhas e sentir a água gelada de igarapé no corpo.
O dia teve seu desfecho com uma peça de fantoche oferecida pelo Rafael>>>>>>, colaborador do Sítio Refazenda.

HORTA

O sítio Refazenda, é um espaço de 3,6 hectares, onde são exercidos os  conceitos emergentes de sustentabilidade humana focada na Permacultura como: Casas bio-construídas e bio-climatizadas, telhados vivos, cozinha e galinheiro ecológicos, banheiro compostável, bioremediação de águas servidas, hortas-mandala, cultivo de plantas de uso alimentar, fitoterápico, aromático, paisagístico, fogão e forno de barro e viveiro de mudas; demonstrando na prática como é viver sustentavelmente. A proposta principal é formar um exemplo vivo onde as tecnologias interagem em harmonia com a natureza. Conta Rafael de Rivera – Coordenador Pedagógico do Coletivo Samaúma.

Após quase um ano de planejamento e construção, o Sítio Refazenda, convida os parceiros potenciais para um dia interativo, abrindo suas hortas, igarapés e trilhas para visitações, vivências e cursos.

magia de cada ser

O dia começou com a Roda dos Jardineiros (as), dinâmica realizada por Samir Raoni, cordenador de Cultura de Paz do Coletivo Samaúma – Arte Educação Ambiental, pertencente a organização não-governamental Argonautas Ambientalistas da Amazônia, que integra o conselho gestor do Sítio Refazenda.

A Roda dos Jardineiros começa com uma reflexão sobre a origem das rodas e sua importância para relações mais solidárias e humanas, “ a roda não tem tamanhos maiores nem menores. É proporcional em todas as suas dimensões. As rodas geram os ciclos dos anéis universais, dos sistemas solares às galáxias, as proporções moleculares e  tantos outros processos naturais. A roda é o elo de ligação, é a representação das redes, é o simbolo das mandalas que representam a perfeição das proporções em si” reporta Samir Raoni para o núcleo de comunicação do Samaúma.

Nando falando sobre os principios éticos da permacultura

Em seguida ouve um diálogo sobre os princípios éticos da permacultura ministrada pelo Fernando Paraense (Nando). Este falou da deturpação do termo ecologia, refletiu os três princípios da permacultura, da importância da economia solidária, das agroflorestas, energias limpas e explanou sobre sua experiência em ter construído um ambiente sistêmico. Foi um momento de interação, reflexão de uma nova postura para nossos atos de consumo e interação com o meio ambiente.

Após temos refletido sobre práticas ecológicas, todos foram convidados a um almoço com alimentos integrais e orgânicos.

Estando todos bem nutridos, o grupo foi adentrar a floresta conhecer as trilhas, o igarapé, relaxar ouvindo som de passarinhos, pés nas folhas e sentir a água gelada de igarapé no corpo.

O dia teve seu desfecho com uma peça de fantoche oferecida pelo Rafael Soares, colaborador do Sítio Refazenda.

É preciso reencantar o mundo

Veja mais fotos dessa ação no nosso Flickr, acesse: www.flickr.com/photos/samauma

Fonte: Portal de Cultura Rede Amazônica de Protagonismo Juvenil

Flor, refletindo sobre qual a nossa responsabilidade com o nosso lixo de cada dia

Entrevista realizada pelo Poló Pará do Brasil Memória em Rede

Responsabilidade Social, é sobretudo respeito a vida, a cultura, a diversidade e a memória. É a sensibilidade que cada indivíduo desenvolve trabalhando seu Ser Humano, colaborando e cooperando para um mundo mais plural e solidário. A diversidade expressa modos de vida, motivações, crenças religiosas, valores, práticas, rituais e identidades. São recursos essenciais na construção e determinação de nossa própria vida em comunidade. Reflete Samir Raoni, coordenador de Cultura de Paz do Coletivo Samaúma.

A Universidade Anhanguera-Uniderp proporcionou diversas ações no dia da Responsabilidade Social. Diversas escolas e centros comunitários de Belém foram mobilizadas. Em toda sua dimensão acadêmica cerca de 5.000 pessoas, entre professores, crianças, artistas e atores sociais celebraram com diversas atividades este dia.

Publico

Os Samaumeiros tiveram como público cerca de 100 crianças além de pais e atores presentes no Dia de Responsabilidade Social que ocorreu no Centro Comunitário Santa Edivigis, localizado no Bairro Panorama XXI, local com alta vulnerabilidade social.

O Coletivo Samaúma junto ao curso tecnologia em gestão de serviços em saúde, realizaram a peça arte-educacional “O Lixo Nosso de Cada Dia”, que é uma reflexão sobre o cuidado que estamos tendo com o nossos ambientes dentro do nosso finito planeta. A intervenção aborda desde o consumo ao descarte, de como as embalagens impactam nosso ambiente. Contextualiza Elisângela Pinheiro, arte-educadora do Coletivo Samaúma.

As crianças interagem na peça como proponentes das soluções necessárias que gerem transformação social e fortaleça uma cultura solidária. As soluções partem de cada indivíduo em qualquer que seja seu convívio social, escola, trabalho ou em casa. Cuidando e racionando água, cultivando plantas, reduzindo, reutilizando e reciclando o lixo, proporcionando um ambiente mais harmônico e educativo. Na escola estimular a educação pelo brinquedo. Entender as artes como um jardim fértil e diverso, que quando regada com a imaginação criativa será capaz de desenvolver as soluções necessárias para os desafios que estão por vir em suas vidas. Compartilha Rafael de Rivera – Coordenador Pedagógico do Coletivo Samaúma.

Semente dizendo das possibilidades de reciclagem

Semente na intervenção Terra nossa Casa na peça Nosso Lixo de cada Dia

Veja mais fotos dessa ação no nosso Flickr, acesse: www.flickr.com/photos/samauma

FONTE: BRASIL MEMÓRAIA EM REDE