Posts com Tag ‘dia’

Flor, refletindo sobre qual a nossa responsabilidade com o nosso lixo de cada dia

Entrevista realizada pelo Poló Pará do Brasil Memória em Rede

Responsabilidade Social, é sobretudo respeito a vida, a cultura, a diversidade e a memória. É a sensibilidade que cada indivíduo desenvolve trabalhando seu Ser Humano, colaborando e cooperando para um mundo mais plural e solidário. A diversidade expressa modos de vida, motivações, crenças religiosas, valores, práticas, rituais e identidades. São recursos essenciais na construção e determinação de nossa própria vida em comunidade. Reflete Samir Raoni, coordenador de Cultura de Paz do Coletivo Samaúma.

A Universidade Anhanguera-Uniderp proporcionou diversas ações no dia da Responsabilidade Social. Diversas escolas e centros comunitários de Belém foram mobilizadas. Em toda sua dimensão acadêmica cerca de 5.000 pessoas, entre professores, crianças, artistas e atores sociais celebraram com diversas atividades este dia.

Publico

Os Samaumeiros tiveram como público cerca de 100 crianças além de pais e atores presentes no Dia de Responsabilidade Social que ocorreu no Centro Comunitário Santa Edivigis, localizado no Bairro Panorama XXI, local com alta vulnerabilidade social.

O Coletivo Samaúma junto ao curso tecnologia em gestão de serviços em saúde, realizaram a peça arte-educacional “O Lixo Nosso de Cada Dia”, que é uma reflexão sobre o cuidado que estamos tendo com o nossos ambientes dentro do nosso finito planeta. A intervenção aborda desde o consumo ao descarte, de como as embalagens impactam nosso ambiente. Contextualiza Elisângela Pinheiro, arte-educadora do Coletivo Samaúma.

As crianças interagem na peça como proponentes das soluções necessárias que gerem transformação social e fortaleça uma cultura solidária. As soluções partem de cada indivíduo em qualquer que seja seu convívio social, escola, trabalho ou em casa. Cuidando e racionando água, cultivando plantas, reduzindo, reutilizando e reciclando o lixo, proporcionando um ambiente mais harmônico e educativo. Na escola estimular a educação pelo brinquedo. Entender as artes como um jardim fértil e diverso, que quando regada com a imaginação criativa será capaz de desenvolver as soluções necessárias para os desafios que estão por vir em suas vidas. Compartilha Rafael de Rivera – Coordenador Pedagógico do Coletivo Samaúma.

Semente dizendo das possibilidades de reciclagem

Semente na intervenção Terra nossa Casa na peça Nosso Lixo de cada Dia

Veja mais fotos dessa ação no nosso Flickr, acesse: www.flickr.com/photos/samauma

FONTE: BRASIL MEMÓRAIA EM REDE