Posts com Tag ‘belém’

Fruto da parceria entre APJCC e SESC Boulevard, o Curso de Cinema Asiático Contemporâneo,sob a égide da Ordem Monge Takuan, nasceu da urgência em democratizar o acesso a uma cinematografia importantíssima da Imagemcontemporaneidade. Pensar o cinema feito hoje em Taiwan, na China, na Coréia, na Tailândia, no Japão é de suma importância para acompanhar os passos da sétima arte dentro de sua Historia. Cinéfilos, críticos, apreciadores e profissionais do cinema necessitam estar conectados, de uma forma ou de outra, aos grandes autores que surgem, mas que não chegam.
Neste segundo módulo do Curso, “A vida como ela é, uma vez”, serão apresentados o sul-coreano Hong Sang-Soo e o chinês Jia Zhang-Ke. No bojo, obviamente, um estudo aprofundado da linguagem em si.
É clichê repetir, em cursos de estética, que a melhor aula de uma determinada arte é conhecer profundamente seus mais contundentes artífices. No caso deste curso, não
faltam pretendentes.

Mais informaçoes:
Curso de Cinema Asiático Contemporâneo: enfim às Índias
Se houve vezes na História do Cinema em que os EUA trouxeram a novidade, ou a França, a Itália, o Brasil, a URSS, hoje, sem dúvida, é dos países do Extremo Oriente que surgem os objetos mais notadamente não-identificados. Afora o movimento forte de vanguarda, parece vir de lá, como se não bastasse, o melhor “cinema clássico”, assim como o melhor “cinema comercial”.
Tais cinematografias, por se tratarem de obras experimentais e/ou distantes, tem circulação restrita a poucos circuitos alternativos. Devido a essa falta de acesso, acabamos creditando a outrem o pódio que outros mereciam ocupar.
O “Curso de Cinema Asiático Contemporâneo: enfim às Índias” propõe uma grande navegação a esse inexplorado continente, tão rico e fascinante. A cartografia deverá ser crítica, os olhos nus e a vontade de exploração criativa. Serão 4 módulos, 2 cineastas perseguidos em cada. Enfim às Índias, sem sair do lugar.

Módulo 2: A vida como ela é, uma vez
(HONG SANG SOO & JIA ZHANG-KE E A ORIGEM DO MUNDO)

Se gênios do cinema como Yasujiro Ozu, Roberto Rossellini, Eric Rohmer, Jean Eustache acreditaram na máquina audiovisual como esse aparato que ao revelar o mundo constrói um universo, é porque seguiam a máxima hermética que o que está do lado de fora é como o que está do lado de deImagemntro. Verdadeiros mensageiros alados, ao deslizar as encostas do caminho que trilharam, engendraram em seus momentos de comunicação com o mundo, fiéis epifanias, tecidas de arte e milagre.
Hong Sang-Soo e Jia Zhang-Ke, herdeiros contundentes deste cinema que Louis Lumiére, Robert Flaherty, André Bazin, Cesare Zavattini sonharam outrora, são, enquanto orientais (ocidentais), indivíduos ícones de nossa era.
Os personagens do primeiro são sempre homens-artistas-perdidos, perdidos com sua mente e a vontade inelutável de criar, perdidos com sua pica e a vontade inexorável de copular… Em “Noite e dia”, em cena antológica e ontológica, numa exposição dos quadros do realista Gustave Courbet, o casal discute, perscrutando o quadro, se ele se chama “A Origem do Mundo” ou “A Origem do Homem”. O diretor coreano Hong Sang-Soo, ao originar o seu mundo no espaço do tempo de um plano, retorna sempre às origens do homem & ao originar no personagem o homem segue sempre em direção ao mundo. Assim como o quadro que está na parede do museu não é nada além de uma superfície com tintas, o universo que se projeta fantasmático não é nada mais que luz de um outrora aprisionado. A vida como ela é, uma vez.
O segundo, o chinês Jia Zhang-Ke, impressiona com o seu faro de observador atento das superfícies mais profundas. Vê no cinema, claramente, sacro ofício de uma função: registrar o Mundo. Tarefa paradoxal em sua subjetividade-objetividade, labiríntica em suas entranhas, a arte de gravar é, em seu livre-arbítrio, problema ético dos mais complexos.
Em “Em busca da Vida”, filme onde registra o drama de cidadãos se adequando às decisões da nação, Jia traz a tona o homem em sua relação mais direta com a existência. Lembrando sempre da ficção inerente à construção artística, não obstante, nos recorda sempre que há um narrador, e que toda verdade só pode brilhar envolta neste olhar terno e desconfiado chamado mentira. A vida como ela é, uma vez.
Era uma vez…

Idealização e texto: Mateus Moura (APJCC – 2013)

SERVIÇO:
Módulo II – A vida como ela é, uma vez
09, 10, 11 e 12 de julho
De 10h as 13h
No Sesc Boulevard
(Av. Boulevard Castilho França, 522-523 – Campina)
INSCRIÇÕES ABERTAS – de 02 a 12 de julho, das 10h as 18h – no Sesc Boulevard
CURSO GRATUITO COM VAGAS LIMITADAS

Imagem

Ah Yum Hunab Ku Evan Maya E Ma Ho
Hoje, muitas conexões em Belém. Terna conversa sobre tudo que tem estimulado o despertar dos dias com os hermanos Caio e Juca. Conheci a Casa Fora do Eixo Amazônia. Espaço mais que demais! A galera ta mantendo os sonhos acesos. Conseguimos circundar a semente da turner norte da Picanha de Chernobill. Conexões com 14 escolas da região metropolitana de belém mais 8 no sul do Pará. Serão cerca de 30 dias por estes lados em uma agenda de 24 shows. A cidade esta super receptiva para essa nova safra de Rock’n’Roll! Eu to só felicidade. Entreguei o segundo cd da picanha para o Edgar Proença, Jayme Katarro, Marcelo Damaso, Roberto Figueiredo, Fabricio e Inoar.

Festival Territórios de Teatro

Publicado: 11 de agosto de 2010 em Geral
Tags:, , , ,

Uma semana inteirinha para curtir teatro. O Territórios chega em seu terceiro ano. Logo mais, às 10h, a abertura com o Pássaro Tucano dá início a uma grande jornada que se espalhará por vários pontos da cidade. Fique atento aos locais, espetáculos e os horários para aproveitar ao máximo.

Ao todo serão apresentados 24 espetáculos, chegando a exibição de até quatro por dia.
Na programação, a oportunidade de ver espetáculos que, apesar de terem ficado longa temporada em cartaz, ainda tem muita gente que não viu, como “Abraço”, com o Cláudio Barradas, e também alguns que ficaram em curtíssimas agendas, como espetáculo de marionetes “Contos da Floresta”.

O In Bust está com duas peças: “Sirênios” e “O Conto que eu vim Contar”.

Já os Palhaços Trovadores retornam com o excelente “Mão de Vaca”, assim como A Casa da Atriz, de Yeyé Porto, reapresentará “A Troca e a Tarefa”.

A maioria dos espaços tem endereço já conhecido para o público, como o Teatro Maria Sylvia Nunes, o Anfiteatro da Praça da República e até memso o Teatro Cláudio Barradas, que fica na Escola de Teatro de Dança da UFPA, na Jerônimo Pimentel com a Dom Romulado de Seixas. O Casarão do Boneco, na 16 de Novembro, 815 e a Casa da Atriz, na Oliveira Belo, 95, entre Generalissimo e D. Romulado de Seixas.

A Praça e o Memorial Indígena, no Ver-o-Rio, como o Maria Sylvia Nunes, entram pela primeira vez como espaço da programação. Também vão receber espetáculos, o Teatro Fundação Curro Velho (Na Fundação Curro Velho), o Teatro Porão Unipop (Na Senador Lemos, 557) e o Teatro Cuíra. Abaixo a programação completa.

A entrada é franca, mas os espetáculos apresentados em locais fechados terão como ingressos a doação de 1 Kg de alimento não perecível, que serão doados à instituição Paravida. Mais informações no blog do evento.

Dia 08 – Abertura

Teatro Universitário Cláudio Barradas -10h – PÁSSARO TUCANO

Casarão do Bonecos – 20H – MORGUE INSANO AND COOL

Dia 09

Anfiteatro da Praça da República – 19h30 – O MÃO DE VACA

Teatro Cuíra – 21h – ABRAÇO

Teatro da Fundação Curro Velho – 19h – UMA FLOR PARA LINDA FLORA

Dia 10

Casarão dos Bonecos – 19h – SIRÊNIOS

Anfiteatro da Praça da República – 19h30 – CONTOS DA FLORESTA

Teatro Cuíra – 21h – IRACEMA VOA

Dia 11

Casarão do Bonecos – 19h – O CONTO Q EU VIM CONTAR

Anfiteatro da Praça da República – 19h30 – PERIFÉERICO

Teatro Cuíra – 21h – ÚTERO

Dia 12

Teatro Cuíra – 21h – SEM FLOR, SEM PERFUME, SEM MARGARIDA

Teatro da Fundação Curro Velho – 19h-RETALHOS DE HOLANDA

Teatro Porão Cultural da Unipop – 20h – A MULHER MACACO

Teatro Universitário Cláudio Barradas – 21h – CORPO SANTO

Dia 13

Teatro da Fundação Curro Velho – 19h – ÁGUAS DE MARIANA

A Casa da Atriz – 19h – A TROCA E A TAREFA

Teatro Universitário Cláudio Barradas – 21h – MEIO DIA DO FIM

Dia 14

Praça Ver-o-Rio 17h – Grupo de Experimentação Teatro Miniatura

Memorial dos Povos Indígenas – 19h – 6 MESES AQUI

Teatro da Fundação Curro Velho – 19 – QUEM TEM RISO VAI A LONA

Teatro Universitário Cláudio Barradas – 21h – FROZEN

Dia 15

Teatro Universitário Cláudio Barradas – 18h – DONS DE QUIXOTE

Teatro Maria Sylvia Nunes – 21h – IN BETWEEN

Postado por Holofote Virtua

O secretário geral do Conselho Nacional de Cineclubes, João Batista Pimentel Neto, foi a primeira pessoa a confirmar presença na Jornada que vai fundar a Federação Paraense de Cineclubes, dias 23, 24 e 25 de julho, em Belém.

Segue abaixo, texto enviado pelo evento.

Honrado pelo convite, conforme e-mail endereçado á comissão organizadora, o secretário do CNC vai arcar com a viabilização da própria passagem aérea para garantir a sua participação em toda a Jornada, propondo-se, inclusive, em aceitar acomodações disponibilizadas através da hospedagem e alimentação solidárias.

Além do estímulo ao movimento cineclubista, a presença de Pimentel, segundo a comissão organizadora do encontro, confirma que a articulação de eventos em rede, de forma aberta, transparente e democrática, fortalece o sentimento e a sinestesia colaborativa dos participantes. A comissão organizadora avalia que a presença de Pimentel, assim posta, poderá estimular a militância cineclubista para a o entendimento de que a JOPACINE, por resultar de um esforço coletivo e por ser organizada com enormes dificuldades estruturais, os seus participantes serão convocados a assumir eles próprios diversas responsabilidades com este evento, histórico pela sua própria natureza.

Assim sendo, a presença de Pimentel em Belém na Jornada Paraense de Cineclubes é sem dúvida a primeira de uma série de confirmações que estão se desenhando e que devem estar consolidadas até meados da próxima semana. Até o presente momento, o evento conta com apoios do IDEA 2010, Rede Norte de Cineclubes, Secretaria de Educação, Casa Civil, Prodepa, Fapespa, Sedect e Secult.

Objetivamente, estão garantidos o espaço de realização do evento (Cinema Olímpia), o alojamento dos participantes (que será em escola próxima ao local da JOPACINE), transporte dos participantes entre o local do evento e a escola onde ficarão alojados.

A partir de segunda-feira, dia 12, serão intensificadas as chamadas aos cineclubistas, gestores de entidades da sociedade civil, ativistas do setor audiovisual, realizadores e produtores de cinema e mídias digitais, de forma a garantir a maior representatividade possível deste encontro.

O evento é convocado por cerca de 30 entidades e projetos que participaram do ii DIÁ-logos cineclubistas, realizado em maio no instituto de Tradição Afro-Religiosa Mãe Nangetu. Sem orçamento e ao mesmo tempo sem economia de esforços, o evento vem sendo estruturado em rede, de forma colaborativa, com os seus passos sendo permanentemente publicitados de forma a que a sociedade possa acompanhá-los.

Assim sendo, estão disponibilizados no site www.jopacine.wordpress.com todas as informações sobre a JORNADA, entre as quais: programação, ficha de inscrição, proposta de regimento interno da JOPACINE e ainda a proposta de estatutos da Federação Paraense de Cineclubes.

A meta da comissão organizadora é aparar as arestas e solucionar todos os impasses entre teorias e práticas antes da JOPACINE, para que a mesma se transforme num espaço de conversas entre as vivências e de proposições afirmativas para o desenvolvimento da atividade cineclubista no Estado do Pará.

Fonte: Comissão Organizadora da Jornada Paraense de Cineclubes

Facilitador do Pontão de Cultura Rede Juvenil entrega Carta dos Cineclubes da Região Metropolitana de Belém em entidades de SP e RJ.

A experiência da troca de conteúdos e vivências proporcionada pela participação nos DIÁLOGOS CINECLUBISTAS – A fala das práticas – Relatos de experiências e rodas de diálogos, evento livre, democrático e independente, realizado nos dias 17, 18 e 19 de agosto de 2009 em locais onde são desenvolvidas as mais diversas praticas cineclubistas em Belém e em Ananindeua, trouxe para os seus participantes a certeza de que o CINECLUBE é um espaço de construção de aprendizados e diálogos democráticos e necessariamente uma ferramenta educativa capaz de formar consciências e culturas poéticas e visuais, pelas quais o ser humano pode vir a criar e a produzir um novo pensamento, assim como a arte na sua plenitude política e libertária.
Nesse sentido, nós, realizadores, produtores e técnicos, atores e atrizes, cineclubistas, críticos e pesquisadores, exibidores e amantes do cinema, representantes de projetos e organizações com forte atuação em Belém e em Ananindeua, resolvemos tornar pública a <a href=”http://redecinenorte.ning.com/forum/topics/carta-dos-cineclubistas-da-1” target=”_blank”>CARTA DOS CINECLUBISTAS DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM</a>, com o objetivo de refletir, compartilhar e sugerir idéias e propostas para fortalecer o cinema, o audiovisual e o cineclubismo no Estado do Pará.

Reconhecendo a importância dos DIÁLOGOS CINECLUBISTAS para o processo de fortalecimento, fomento e principalmente reconhecimento das demandas que refletem as realidades Paraenses e Amazonidas, no que se refere à audiovisual e movimento cineclubista, eu, Samir Raoni, Facilitador do Pontão de Cultura Rede Amazônica de Protagonismo Juvenil, Após ter participado do III Fórum do Brasil Memória em Rede, que aconteceu no SESC Vila Mariana no período de 19 a 21 de agosto, aproveito a presença em São Paulo para cumprir uma agenda de entrega da CARTA DOS CINECLUBISTAS DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM, a fim de consolidar uma comunicação mais horizontal e por conseguinte mais direta com os movimentos Cineclubistas do País.

AGENDA DE ENTREGA DA CARTA DOS CINECLUBISTAS DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM

  • SÃO PAULO
    27 de Agosto, Cineclube Pólis – Pontão de Cultura
    27 de Agosto, Cineclube Centro Paulista – Ponto de Cultura
    28 de Agosto, Pimentel – CNC
    28 de Agosto, TEIA Regional SP, Encontro dos 280 Pontos de Cultura de São Paulo.
  • RIO DE JANEIRO
    31 de Agosto, Escola de Cinema Darcy Ribeiro

Para falar com Samir Raoni acesse: www.samiraoni.wordpress.com / (91) 8181-4994

Essa matéria foli publicada:
– Poral Rede Juvenil
– Portal Cineclube Rede Norte
– Rede Amazônia Juvenil
– Rede Teatro da Floresta
– Pólo Regional BMR Pará
– Rejuma
– Samir Raoni