Arquivo de 2 de março de 2011

Por Carlos Henrique Machado, Do Ministério da Cultura

Racha agita área de direitos do Minc

Estadão – SP, por Jotabê Medeiros, em 01/03/2011

Servidores ameaçam demitir-se em protesto contra saída de Marcos Souza, da direção de Direitos Intelectuais

Um racha atingiu ontem a Diretoria de Direitos Intelectuais do Ministério da Cultura em Brasília. A internet foi tomada com diversas manifestações de protesto pela exoneração do diretor da área, Marcos Alves de Souza. O imbróglio deve se radicalizar: 16 pessoas ameaçam afastar-se daquele setor do ministério nos próximos dias, segundo informações obtidas pelo Estado.

inistério da Cultura ofereceu a Souza, especialista jurídico em direitos de autores e um dos principais consultores do novo anteprojeto da reforma da Lei de Direitos Autorais, a possibilidade de assumir outra função na Diretoria de Direitos Intelectuais, mas ele recusou. Em seu lugar, foi nomeada a advogada carioca Marcia Regina Vicente Barbosa, de 56 anos, que integrou o Conselho Nacional de Direito Autoral (CNDA) entre 1982 a 1990. Advogada da União, Marcia foi integrante da Consultoria Jurídica do Ministério da Cultura, de 2006 a 2010, e integra a Consultoria Geral da União desde maio de 2010.http://www.cultura.gov.br/site/2011/03/01/racha-agita-area-de-direitos-do-minc/

Anúncios

Charles Chaplin se viu afrontado pela chegada do som em 1927. Para garantir a sobrevivência de seu alter-ego Carlitos, personagem decididamente mudo, Chaplin não podia realizar um filme silencioso.Em 2 anos se dedicou à realizar O filme silencioso.

Em 1931 “Luzes da Cidade” chegou aos cinemas como uma peça de resistência contra a irracional modernização dos tempos. O romance entre o vagabundo e a florista cega transcorre no cenário da Grande Cidade, plena em sua decadência e injustiça. Cada cena no filme é concebida com precisão técnica incomum e com a liberdade poética de um multi-artista no auge de sua louca criatividade.

Chaplin é um coração gigante. Seu filme é de Amor, mas de um Amor maiúsculo: Amor por Carlitos, pelo cinema, pela platéia e pela tantas vezes maltratada vida.

Miguel Haoni (APJCC – 2011)

Serviço:
Dia 3 de março (quinta)
às 18:30
no Cine-teatro do CCBEU – Tv. Padre Eutíquio, 1309
ENTRADA FRANCA
Realização: APJCC e CCBEU
Mais informações:
Comunidade e Perfil no Orkut
E-mail: cineccbeu@gmail.com
Twitter da APJCC
Facebook da APJCC
Contato: (91) 83561799

Publicado em 01/03/2011 por redecom

Mistica de conexão com a natureza no Seminário Redecom

Encerramos ontem, dia 27 (domingo) uma intensa jornada de atividades, composta por três importantes atividades. Nos dias 19 e 20 realizamos em Marabá o Seminário da Redecom – Rede Amazônia de Comunicadores Comunitários, rede que foi rebatizada como “Comunicação e Cultura em Rede Amazônia”. Foi um momento muito especial de contato presencial e vivência da rede que vem sendo construída há mais de um ano. O Seminário contou com a participação 32 membros da Redecom ligados a pontos e pontões de cultura, infocentros, cineclubes, escolas, universidades e outros coletivos culturais.

Apresentação dos participantes do Encontro Convivência e Cultura de Paz

Chegamos de Marabá na terça-feira à noite literalmente direto para o Casarão Cultural Floresta Sonora, sede local da produção do Encontro de Politicas e Convivência de Cultura de Paz, organizado colaborativamente pelo Instituto Pólis (Pontão de Cultura Convivência e Cultura de Paz) e Comissão Paraense de Pontos de Cultura-CPPC e que foi realizado nos dias 25 e 26 de fevereiro. Foi mais um momento de grande troca de saberes e sensibilidade que contou com a participação de pontos de cultura, cineclubes e muitas outras iniciativas culturais do Pará. No dia 27 encerramos com chave de ouro a jornada de mobilização e pactuação de agendas da rede de pontos com a reunião da CPPC – Comissão Paraense de Pontos de Cultura. Esses dois eventos foram realizados no Parque dos Igarapés, um agradável hotel-fazenda localizado nos arredores de Belém.

Mistica de transição entre o Encontro Polís e a Reunião da CPPC

Foram duas semanas seguidas de atividades. No décimo-quinto dia (hoje, 28 de fevereiro) reservamos para descanso da equipe de colaboradores que se desdobrou para organizar esses três momentos da rede.

Infelizmente, em Marabá a Internet não funciona muito bem. Mesmo assim conseguimos transmitir alguns momentos do Seminário pela webradio do Circuito Fora do Eixo. Em Belém, a Internet no Parque dos Igarapés não estava funcionando e os modems portáteis da Tim e da Vivo estavam sem sinal. Esses percalços tecnológicos nos impediu de enviar informações mais quentes, em cima do ato. Porém, a partir de amanhã vamos começar a postar os milhares de megabites que recolhemos em formato de fotos, vídeos, áudios e textos através dos vários coletivos que interagiram durante a jornada, compartilhando os links de acesso.