Arquivo de abril, 2010

Entrega de Certificado das 1) 3° Oficinas de Web 2.0; 2) 1° de Web-Ativismo; 3) 1° de Elaboração de Projetos, realizada nos dias 26 e 27 de abril de 2010, pelos educomunicadores Samir Raoni, Higor Tohany e Helton Almeida da ONG Argonautas Ambientalistas da Amazônia na Escola Estadual Delgado Leão, Cachoeira do Arari (Marajó-PA), com carga horária de 4 horas, sendo parte da 1° Mostra de Cinema Marajoara 24 a 27 de Abril.

Confira algumas fotos das Oficinas realizadas

Hoje 29 de abril, Cachoeira do Arari amanhece com um sol que verdeja as mangueiras dos quintais, e nesse dia aluminado de solidariedade, transformação e protagonismo, é feita a entrega dos certificados para os 35 jovens participantes das oficinas de web 2.0, web-ativismo-digital e elaboração de projetos sociais ministradas pelos Edu-Comunicadores Argonautas Samir Raoni, Helton Almeida e Higor Tohany. Os oficineiros retornam hoje para a cidade das mangueiras, Belém do Pará, a segunda cidade mais populosa da região Norte e principal cidade da maior região metropolitana da Amazônia. Com população estimada em 1.437.600, é conhecida como “Metrópole da Amazônia”. Os oficineiros concluíram com honra a sua colaboração solidária, gerando um sentimento de inclusão para os 400 jovens da Escola Estadual Delgado Leão que fica no centro de Cachoeira do Arari (Marajo-Pará), cidade originada da freguesia de Nossa Senhora da Conceição da Cachoeira do rio Arari, município que abriga o Museu do Marajó, cidade onde viveu o ilustre escritor Dalcídio Jurandir a qual homenageou com o livro Chove nos Campos de Cachoeira.

A oficina de Web 2.0 A Internet Colaborativa tem como objetivo introduzir os jovens à “nova” mudança da internet como plataforma, pois na nova era da web o importante é desenvolver aplicativos que aproveitem os efeitos de rede para se tornarem melhores
quanto mais são usados pelas pessoas, aproveitando a inteligência coletiva.

Apesar de algumas coisas não terem saído do jeito que a coordenação da mostra havia previsto, é consenso entre os envolvidos da importância desta ação arte-politica.

Os resultados da 1° Mostra de Cinema Marajoara demonstram que a parceria entre os envolvidos fez com que a mostra de filmes produzidos no arquipélago fosse enriquecida com rodas de conversa e as mais diversas oficinas.

A ONG Argonautas Ambientalistas da Amazônia, fundada em 14 de agosto de 1992, no campus da Universidade Federal do Pará tem a finalidade de defender o meio ambiente e
promover o desenvolvimento local sustentável, a cidadania e a democratização das relações sociais, humanas, econômicas, políticas e culturais da Amazônia, contribuiu nessa ação, pois acredita no poder transformador que tem estimular o protagonismo comunitária e fortalecer as parcerias.

Fonte: Rede Amazônica de Protagonismo Juvenil

Foto: Entrega de Certificado das 1) 3° Oficinas de Web 2.0; 2) 1° de Web-Ativismo; 3) 1° de Elaboração de Projetos, realizada nos dias 26 e 27 de abril de 2010, pelos educomunicadores Samir Raoni, Higor Tohany e Helton Almeida da ONG Argonautas Ambientalistas da Amazônia na Escola Estadual Delgado Leão, Cachoeira do Arari (Marajó-PA), com carga horária de 4 horas, sendo parte da 1° Mostra de Cinema Marajoara 24 a 27 de Abril.


Confira algumas fotos das Oficinas realizadas


Hoje 29 de abril, Cachoeira do Arari amanhece com um sol que verdeja as mangueiras dos quintais, e nesse dia aluminado de solidariedade, transformação e protagonismo, é feita a entrega dos certificados para os 35 jovens participantes das oficinas de web 2.0, web-ativismo-digital e elaboração de projetos sociais ministradas pelos Edu-Comunicadores Argonautas Samir Raoni, Helton Almeida e Higor Tohany. Os oficineiros retornam hoje para a cidade das mangueiras, Belém do Pará, a segunda cidade mais populosa da região Norte e principal cidade da maior região metropolitana da Amazônia. Com população estimada em 1.437.600, é conhecida como “Metrópole da Amazônia”. Os oficineiros concluíram com honra a sua colaboração solidária, gerando um sentimento de inclusão para os 400 jovens da Escola Estadual Delgado Leão que fica no centro de Cachoeira do Arari (Marajo-Pará), cidade originada da freguesia de Nossa Senhora da Conceição da Cachoeira do rio Arari, município que abriga o Museu do Marajó, cidade onde viveu o ilustre escritor Dalcídio Jurandir a qual homenageou com o livro Chove nos Campos de Cachoeira.

A oficina de Web 2.0 A Internet Colaborativa tem como objetivo introduzir os jovens à “nova” mudança da internet como plataforma, pois na nova era da web o importante é desenvolver aplicativos que aproveitem os efeitos de rede para se tornarem melhores
quanto mais são usados pelas pessoas, aproveitando a inteligência coletiva.

Apesar de algumas coisas não terem saído do jeito que a coordenação da mostra havia previsto, é consenso entre os envolvidos da importância desta ação arte-politica.

Os resultados da 1° Mostra de Cinema Marajoara demonstram que a parceria entre os envolvidos fez com que a mostra de filmes produzidos no arquipélago fosse enriquecida com rodas de conversa e as mais diversas oficinas.

A ONG Argonautas Ambientalistas da Amazônia, fundada em 14 de agosto de 1992, no campus da Universidade Federal do Pará tem a finalidade de defender o meio ambiente e
promover o desenvolvimento local sustentável, a cidadania e a democratização das relações sociais, humanas, econômicas, políticas e culturais da Amazônia, contribuiu nessa ação, pois acredita no poder transformador que tem estimular o protagonismo comunitária e fortalecer as parcerias.

Fonte: Rede Amazônica de Protagonismo Juvenil

Anúncios

Foto: Os Argonautas Samir Raoni e Helton Almeipda realizando a 3° Oficina de Web 2.0 - A Internet Colaborativa, que aconteceu no laboratório de informática da Escola Estadual Delgado Leão tendo na 3 ° oficina 15 jovens inscritos, resultando em 15 blogs que agregaram ferramentas de web rádio, web tv e redes sociais.

Fontos: Confira algumas fotos publicadas


A parceria da ONG Argonautas com a 1° Mostra de Cinema Marajoara leva para cachoeira as praticas do projeto CARAVANA DIGITAL: JUVENTUDE CONECTADA PELA CIDADANIA que aporta em Cachoeira do Arari, que originou-se da freguesia de Nossa Senhora da Conceição da Cachoeira do rio Arari, em 1747. O Município abriga o Museu do Marajó, fundado em 1972 pelo padre italiano naturalizado brasileiro Giovanni Gallo no galpão onde funcionava uma fábrica de óleo. Na cidade também viveu o escritor Dalcídio Jurandir a qual homenageou com o livro Chove nos Campos de Cachoeira. A Ong não-governamental Argonautas Ambientalistas da Amazônia, fundada em 14 de agosto de 1992, no campus da Universidade Federal do Pará, que tem a finalidade de defender o meio ambiente e promover o desenvolvimento local sustentável, a cidadania e a democratização das relações sociais, humanas, econômicas, políticas e culturais da Amazônia, aporta suas velas de solidariedade na Cidade com rica cultura e expressão Marajoara em motivo da 1° Mostra de Cinema Marajoara que acontece deis de 24 de Abril com rodas de conversa, oficinas e mostra audiovisual em praça publica.

Hoje, 27 de abril os Argonautas Samir Raoni e Helton Almeida realizaram a 3° oficina de Web 2.0 A Internet Colaborativa. Pela manhã e pela tarde. A Oficina introduziu os jovens à “nova” mudança da internet como plataforma, pois na nova era da web o importante é desenvolver aplicativos que aproveitem os efeitos de rede para se tornarem melhores quanto mais são usados pelas pessoas, aproveitando a inteligência coletiva”.

Raoni diz que colaborativamente, a web 2.0 também pode ser usada como uma ferramenta pedagógica para a construção de conceitos. É neste sentido que a chamada “arquitetura de participação” de muitos serviços online pretende oferecer além de um ambiente de fácil publicação e espaço para debates, recursos para a gestão coletiva do trabalho comum, no caso da escola, criando uma interdisciplinaridade das meterias. No entanto, devemos estar atentos ao fato de que, quando se discute o trabalho aberto e coletivo online, não se pode pensar que não deva haver a regulação das relações. Igualmente ao trabalho coletivo não virtual, há sempre possibilidades de termos que lidar com ações não prudentes e desvinculadas do objetivo principal do projeto. Uma rede social online não se forma tão e somente pela simples conexão de terminais, conclui o Educomunicador Raoni. “Trata-se de um processo emergente que mantém sua existência através de interações entre os envolvidos” destaca Primo.

Participaram da III oficina 12 alunos da escola estadual Delgado Leão que fica localizada no centro da cidade de Cachoeira do Arari. O resultado das 3° oficinas de Web 2.0 é latente na escola, onde todos os 35 jovens introduzidos nessa nova forma de inclusão e protagonismo social, hoje chamado de Web-Ativismo, gerou 35 blogs que agregam ferramentas de web rádio, web tv e ferramentas de interação em redes sociais que fizeram os jovens trazerem novos sentidos para o uso da internet antes limitada apenas ao MSN e ORKUT, reflete Raoni lembrando dos depoimentos dos jovens sobre o uso da internet.

A primeira oficina foi feita para o turno da manhã que participou da Roda de Conversa com os educadores Argonautas, oficina que gerou o interesse dos jovens do turno da tarde que acharam injusto não ter oficinas para os alunos da tarde, pedindo para a diretora para ser realizada oficinas para o seu turno também, de base dessas novas inscrições dos jovens e do apoio da educadora Sandra Souza, Diretora da unidade de ensino, parceria crucial para a realização das oficinas, foram realizadas mais duas oficinas, tendo mais duas que as jovens lideranças da escola foram articular com Aristides, Secretário de Cultura do município, que esta garantindo a hospedagem solidária e alimentação para os oficineiros que realizam essas ações voluntariamente, pois entendem a importância que tem estimular o protagonismo juvenil nos jovens cachoeirenses.

Acabamos de concluir essa Caravana Digital Solidária conectando a juventude cachoeirense pela cidadania, sensibilizados pelo grande numero de jovens interessados em se apropriar desse conhecimento tão necessário. Essa jornada de oficinas que acontece na 1° Mostra de Cinema Marajoara integra o projeto CARAVANA DIGITAL – JUVENTUDE CONECTADA PELA CIDADANIA uma iniciativa da Ong Argonautas Ambientalistas da Amazônia em parceria com o governo do Estado visando a inclusão digital de jovens a partir de 3 (três) passos; a) articular escolas e movimentos sociais voltados para a juventude, sensibilizando gestores de escolas, lideranças locais e parceiros a partir da necessidade de desenvolvimento de ações de inclusão digital, cultural e social; b) elaborar um diagnóstico participativo, cujo objetivo é o trabalho de campo pautado nas necessidades e demandas; c) formar e capacitar jovens a partir das oficinas e atividades a serem desenvolvidas pelo projeto, em especial as de inclusão digital e produção audiovisual/fotografia.

A 1° Mostra encerra hoje com com o lançamento do Filme Ajuntador de Cacos – A história de Giovanni Gallo e o seu Marajó que acontece na praça do Imperador, convidando todos os moradores Cachoeirense para prestigiar essa história que poderia ser ficção, mas é realidade.

Fonte: Rede Amazônica de Protagonismo Juvenil

Hoje 26 de abril os Argonautas continuam suas ações em Cachoeira do Arari que realiza a 1° Mostra de Cinema Marajoara parceria entre Museu do Marajó prefeitura Municipal de Cachoeira do Arari, Governo do Estado, Irmandade de São Sebastião, AMAM, ONG Argonautas, produtora LUX Amazônia entre outros, que privilegia filmes que tenham sido rodados no arquipélago e desenvolve rodas de conversas e oficinas de cine-ativismo-digital, web 2.0 – a internet colaborativa e cineclubismo.

Os Argonautas Samir Raoni, Higor Tohany e Helton Almeida de Belém do Pará realizaram hoje pela manhã Roda de Conversa com 56 alunos do 1°, 2° e 3° ciclo do ensino médio da Escola Professor Delgado Leão que se localiza no centro de Cachoeira do Arari, no bairro 7 de Setembro. Os jovens receberam os educadores com bastante receptividade participando da roda de conversa. As vivências em rodas são participativas e coletivas, que buscam identificar os principais desafios, experiências e poéticas dos grupos de jovens das escolas, comunidades e pontos de cultura. Através destas atividades serão identificados os conflitos e valores existentes, bem como formas e espaços de resolução através do diálogo e da convivência que permita um sentimento de pertencimento que gere Cultura de Paz. Na roda Samir Raoni, documentarista, poeta e arte-educamor falou do vídeo-doc que esta realizando com jovens principalmente de escolas publicas, pontos de cultura, comunidades ribeirinhas, quilombolas e indígenas, ‘Roda Vida Juvenil” – continuação/ampliação do projeto ‘Rodas de Memória Escolar’, realizado no ano de 2008 na escola Ulysses Guimarães na I Feira da Cultura Ambiental, em outubro do mesmo ano com o Pontão Cultura do Instituto Pólis, São Paulo, em Marabá em parceria com o Ponto de Cultura GAM. O vídeo-documentário vai refletir a MEMÓRIA JUVENIL tendo como eixos de pesquisa a família, a escola e a sociedade. O documentarista pretende montar através das narrativas das histórias de vida, como a escola tem colaborado para o processo de formação de cidadãos comprometidos e participativos do desenvolvimento social e cultural da nova geração. Esses vídeos-documentários tem o apoio metodológico do Museu da Pessoa, responsáveis pelo Pontão de Cultura Brasil Memória em Rede, projeto que sou pesquisador de histórias de vida e pretende ser exibido na 2° Mostra de Cinema Marajoara, enviado para as Escolas Publicas, Comunidades, Pontos de Cultura e Cineclubes.


Mais informações sobre esse projeto acesse: www.samiraoni.wordpress.com

Selecionados nos editais estaduais receberão equipamentos, acervo audiovisual e capacitação cineclubista

Dezenas de municípios do Acre, Pará e Piauí passarão a contar com novas salas para exibição gratuita de filmes, os Cines Mais Cultura. As localidades beneficiadas situam-se nas periferias dos centros urbanos e no interior dos estados, nos Territórios da Cidadania, e não possuem salas de cinema.

Com investimento de cerca de R$ 1,2 milhão, sendo 67% de recursos federais e 33% da contrapartida dos governos estaduais, os selecionados receberão equipamentos de projeção, acervo audiovisual com obras do catálogo da Programadora Brasil e oficinas de capacitação cineclubista.

Confira as relações de contemplados no Acre, Pará e Piauí.

Editais Estaduais – A iniciativa, que visa ampliar o acesso da população ao cinema e apoiar a difusão da produção audiovisual nacional, é desenvolvida por meio de editais lançados em parceria com o Ministério da Cultura. Até o final deste ano, 1.600 salas de exibição não comercial deverão integrar uma rede nacional.

Leia mais.

(SAI/MinC

Neste dia 20 de abril participaram da reunião Com Prof. Dr. Renato Padovese Pró- Reitor da Universidade Cruzeiro do Sul; Nilce Léa Lobato (SP), Samir Raoni (PA) e Profª Drª Rosemary (SP) Santiago na qual teve como objetivo apresentar pessoalmente e ouvir dos próprios autores sobre o “Projeto Memória Social em Rede: Histórias e Culturas do Espaço Rural e Urbano do Norte e Sul do Brasil”. Conversamos sobre a relevância da memória e sua metodologia para a formação dos alunos de licenciatura da universidade, apresentamos a Carta de Anuência do Ponto de Cultura Caiçara-Cananéia, litoral de São Paulo, zona rural e o vídeo-registro do Encontro dos dias 14 e 15. O Profº Renato parabenizou a iniciativa e  colocou a Universidade Cruzeiro do Sul como potencial apoiador e colaborador do Projeto Memória Social em Rede entre outras propostas apresentadas.

Para o bom resultado do projeto que vai acontecer nas Ilhas de Ananindeua e Quilombo do Abacatau e Baixo Acará do Pará e em Belém (NO) e em Cananéia espaço rural e São Paulo (SU) contamos com apoio da Profª Dra. Rosemary parceira e amiga nesta nova trajetória que iniciou na reunião.


Centenas de jovens das comunidades de Icoaracy e Outeiro em Grande Belém vão se reunir neste sábado, dia 24 de maio, das 08 às 16 horas no
Auditório da Escola Bosque, onde haverá apresentações de teatro,
dança, música, e artes cênicas, além de rodas de diálogo para
realizar mais um passo do projeto mundial “Jovem IDEA: Grande
Colheita de Esperança”. O encontro é realizado e organizado pela
Rede Brasileira de Arteducadores (ABRA) e pelo Grupo de Teatro
Monturo – Outeiro/PA, em colaboração com a Associação
Internacional de Teatro e Educação (IDEA) e faz parte da preparação
e mobilização do VII Congresso Mundial da IDEA 2010 que acontecerá
este ano em Belém do Pará, entre os dias 17 e 25 de julho.

Os jovens que participarão nesse encontro são a maioria dos grupos da
região metropolitana de Belém e estarão participando em oficinas
ministrados por jovens de mais de 15 países a partir do inicio de
julho. Desde o inicio de 2009, jovens atores e diretores do mundo
inteiro vem se preparando para participar numa residência na Escola
Bosque que vai criar uma nova peça teatral chamada “Grande
Colheita da Esperança”. O projeto mundial possibilita que jovens
expressam e reflitam sobre seus desejos e medos, aprendendo como
coordenar, produzir coletivamente e cultivar valores de solidariedade
e cuidado. A Escola Bosque será o berço ideal para um projeto
dedicado as questões do meio ambiente, respeito pela diversidade e
transformação sustentável, base de uma educação capaz de lidar
com as necessidades do Seculo XXI.

Neste sábado, os jovens vão trocar culturas e celebrar a diversidade. Entre eles estão os
jovens do projeto de cerâmica do Mova-Ci (Movimento Vanguarda
Cultural de Icoaraci), cordões de Pássaro, grupos de Hip-Hop,
Grupos de Dança Folclórica (como o Balé Folclórico da Amazônia),
Grupos do Guamá em Rede (Guaerê, Rede de Proteção à criança e
ao adolescente que funciona no bairro do Guamá), Grupo
Kacholanakumbuca (teatro de bonecos), Dançarte Cia. de Dança de
Marituba, e componentes do tradicional Pássaro Junino Colibri. Além
dos grupos “Rabecas de Bragança” e “Anjos em Cena” de Santo
Antônio do Tauá.

Os jovens da Grande Belém estão se preparando para acolher seus colegas internacionais. Participarão de
apresentações culturais e coordenarão três rodas vivas sobre
Vida, Diversidade, e Transformação que estruturarão os debates e
as reflexões sobre o futuro,em particular, o futuro da Amazônia.
Também os jovens no dia 24, elaborarão propostas para o grande
encontro de IDEA 2010 que reunirá 2000 educadores, arte-educadores e
gestores de mais de 70 países do mundo para discutir e vivenciar
novos métodos de ensino em aprendizagem baseados na cooperação,
cuidado e sustentabilidade.

De acordo com um dos jovens coordenadores do evento “Queremos mostrar que um grupo de jovens é
capaz de fazer um evento como esse, que toque na mente das pessoas,
pra que elas acreditem que a gente pode melhorar a maneira de fazer
as coisas.” Michel, jovem do Projeto de Cerâmica do MOVA-CI.

Samir Raoni da ONG Argonautas Ambientalistas da Amazônia e Tuxaua da Rede Norte de Cineclubes irá participar da 1ª Mostra de Cinema Marajoara realizado pelo Museu do Marajó no período de 24 à 27/04, a no município de Cachoeira do Arari/Marajó e privilegiará filmes que tenham sido rodados no arquipélago.

A programação contará com obras raras como as de Líbero Luxardo “Marajó- Barreira do Mar” e o lançamento dos documentários “O Ajuntador de Cacos” de Paulo Miranda – Lux Amazônia, “Sou teu Maninho – Um grito Marajoara” de Daniel Corrêa, selecionado no Projeto Revelando os Brasis e “O Glorioso”, produzido pela Castanha Filmes, com direção, fotografia e edição de Gavin Andrews e que contou com a participação da equipe de pesquisadores do IPHAN, os Argonautas escreveram na mostra três produções realizadas no Arquipélago marajoara, “Agentes de Memória em Rede”, “Vozes Jovens da Amazônia” e “Comunicação Comunitária Marajó”, outros filmes foram inscritos e selecionados para a Mostra até o dia 20/04.

Além da exibição dos filmes da Mostra, serão realizadas as oficinas “Cineclube: Cinema pra Gente” e “Elaboração de Projetos e Captação de Recursos”, na qual, haverá elaboração prática de projetos para o MINC.

A I mostra de Cinema Marajoara está prevista para acontecer durante as homenagens de aniversário do Padre Giovanni Gallo, que este ano completaria 83 anos no dia 27/04. O projeto é promovido pelo Museu do Marajó em parceira com a prefeitura Municipal de Cachoeira do Arari, Governo do Estado, Irmandade de São Sebastião, AMAM, ONG Argonautas e a produtora LUX Amazônia.

Programação

24 – sábado

Manhã e Tarde – Oficina cineclube: Cinema pra gente.

Noite – Lançamento do Filme Ajuntador de Cacos – A história de Giovanni Gallo e o seu Marajó.

Documentário de Paulo Miranda/Lux Amazônia.

25 – domingo

Manhã – (Filme Selecionado)

Tarde – A Festa da Cobra.

Curta documentário do Coletivo Resistência Marajoara.

Sou Teu Maninho! Um grito marajoara.

Curta de ficção do Projeto Outros Brasis.

Direção de Daniel Corrêa.

Noite – Lançamento do Filme O Glorioso.

Documentário sobre Festa de São Sebastião de Cachoeira do Arari.

Uma realização do IPHAN.

26 – Segunda.

Manhã e Tarde – Oficina “Elaboração de projetos de captação de recursos”.

Tarde – Perseverança – São Sebastião da Boa Vista – PA.
C
urta de ficção do Projeto Outros Brasis.

Direção: Mauro Bandeira

Noite – Marajó, barreira do mar

Filme Longa-mentragem de Líbero Luxardo.

27 – terça

Manhã – Exibição do Making-off do Filme Ajuntador de Cacos (Conversa sobre a produção).

Tarde – É proibido não tocar nos saberes do Museu do Marajó.

Curta Documentário de Darcel Andrade.

Noite – Ajuntador de Cacos – A história de Giovanni Gallo e o seu Marajó.

Documentário de Paulo Miranda/Lux Amazônia.