Arquivo de janeiro, 2010

 Candidatos a delegados podem se inscrever até 31 de janeiro

As inscrições para participar como delegado da Pré-Conferência Setorial do Audiovisual, que ocorrerá nos dias 24 e 25 de fevereiro, em Brasília, estão abertas até o dia 31 de janeiro. Podem se inscrever representantes do setor audiovisual. A Pré-Conferência Setorial do Audiovisual tem como objetivo promover o debate entre os segmentos representativos do setor. O encontro também servirá para eleger os dez delegados que irão representar o audiovisual das cinco regiões brasileiras na II Conferência Nacional de Cultura. A Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura fará a análise de currículos e das cartas de recomendação de entidades e divulgará a lista dos participantes no início de fevereiro. Serão indicados três delegados da sociedade civil por unidade da federação e um dos poderes públicos estadual ou distrital. Os critérios para a escolha dos delegados que participarão do evento levam em conta o número de instituições da área que subscreve a candidatura, a experiência anterior em instâncias de participação, a atuação na área e a atuação em redes sociais. As inscrições podem ser feitas no site da Conferência Nacional de Cultura. Além de preencherem o formulário na Internet, os candidatos a delegados terão que enviar os documentos exigidos pelo regulamento para o seguinte endereço: Esplanada dos Ministérios, Bloco B, 3º Andar, Brasília – DF, CEP 70068-900.


A rede social Ponto por Ponto, desenvolvida pelo Pontão de Cultura Instituto Paulo Freire, realizou a Oficina de Comunicadores Culturais nos dias 16 e 17 de novembro, em Fortaleza (CE). O evento aconteceu com o apoio do prêmio Areté Cultura Viva – Eventos em Rede da Secretaria de Cidadania Cultural do Ministério da Cultura.
Foram convidados para a oficina Comunicadores Culturais de 30 Pontos de Cultura da região norte, nordeste e Sul. Os critérios de avaliação para a escolha foi o envolvimento dos Pontos nas redes sociais, identificando o papel fundamental desses ativistas sócio-culturais. Os Comunicadores Culturais são os responsáveis por divulgar as ações além dos limites dos seus Pontos, contribuindo para garantir a visibilidade e a consolidação do trabalho cultural, ainda que eles não tenham formação formal na área da comunicação.
O evento debateu a importância da atuação dos comunicadores em seus Pontos, e propôs a prática de algumas ações no âmbito da comunicação, tendo em vistas a democratização dos acessos aos direitos humanos à comunicação e à cultura.
O Pontão de Cultura Rede Amazônica de Protagonismo Juvenil foi convidado a participar do encontro pela sua experiência na formação de comunicadores comunitários, tendo formado 240 jovens em montagem de rádio web, tv Web, produção de gráficos, ferramentas freesociais e web 2.0 – a internet colaborativa, nos quatro 4 pólos do projeto no Pará.
O evento iniciou na manhã do dia 16 com apresentação da programação, seguindo de uma dinâmica de grupo que estimulou uma comunicação corporal entre o coletivo, estimulando uma comunicação por vias corporais, afinal, o corpo também fala, refletiu Graça, facilitadora da dinâmica.
Tinhamos muitas coisas para compartilhar, aprender nos relatos das experiências de cada um dos 20 Ponto de Cultura presentes. Nas discussões tematicas, comentei a importância de reconhecer o outro como um elo da grandiosa teia cultural que protagonizamos em nossas realidades, pois as redes são feitas por pessoas que representam organizações, por isso, a sensibilidade pessoal que cada ator interpreta no seu universo, influencia um impacto negativo ou positivo na realidade do coletivo. Estabelecer uma ligação plural com aqueles que estão ao nosso lado é fundamental para aqueles que querem construir um universo sustentável, principalmente nas relações humanas, práticando a solidáriedade e semeando o reencantamento do mundo.


O encontro seguiu com uma ‘palestra’ do grupo Intervozes complementada pelo audiovisual Levante sua Voz, vídeo sobre direito à comunicação do Coletivo Brasil de Comunicação Social, com o apoio da Fundação Friedrich Ebert Stiftung e que retrata  a concentração dos meios de comunicação existentes no Brasil.
Muitas falas trouxeram para o encontro uma ampla reflexão sobre os processos que envolvem o direito a comunicação solidária e educativa como essência de uma sociedade culturalmente estimulada. Vivemos um pouco dessa utopia, necessária para uma revolução que vem acontecendo em pequenas comunidades. São as revoluções silênciosas, feitas através da mobilização e envolvimento comunitário.
Ouvimos algumas experiências e relatos de estudiosos dos eixos: Tv Digital, Tv Comunitária, Inclusão, Participação, Produção, Veiculação, Distribuição e Legislação. As discussões foram enriquecidas pela experiência que cada Ponto vive.
A I Conferência de Comunicação que  tem acontecido nos estados brasileiros é uma vitória dos movimentos sociais, e tivemos um momento do encontro que falamos sobre esse processo.
O quarto momento foi conduzido por uma dinâmica de seis perguntas colocadas em um grande painel, em que cada pessoa colocou seis eixos norteadores que deveriam ser apresentadas para os Pontos de Cultura participantes. As perguntas eram basicamente sobre como você contribuia para o desenvolvimento da sua organização e quais eram as principais ferramentas de comunicação utilizada pelo seu Ponto de Cultura. O objetivo dessa dinâmica era mostrar pontos em comum e estratégias utilizadas pelos pontos.
No quinto momento foi feito um exercício dividido em grupos, que tinham que criar planos de gestão e comunicação de pontos de cultura imaginários dentro dos temas: Teatro, Audiovisual, Pontão de Cultura e Cultura Digital.
A formação de Comunicadores Culturais foi harmonicamente conduzida pela metodologia Freiriana, valorizando o ouvir o outro, compartilhando percepções de condução do processo e avaliando todos os ciclos do encontro de forma coletiva e participativa.


ELOS QUE SE FORTALECEM
A oportunidade permitiu que fossem feitas parcerias com os vários pontos de cultura que estavam presentes no encontro.
Em conversa com o Pontão de Cultura Instituto Paulo Freire, foi destacado a importância de somarmos forças para articular as redes de pontos de cultura em uma concepção colaborativa, pois entendemos que conectados de forma sistêmica nessa grande rede social podemos construir mais. Nesse sentido o Pontão de Cultura Rede Amazônica de Protagonismo Juvenil tem muito a contribuir junto a Rede de Pontos de Cultura do Pará no Ponto Por Ponto.
Outra construção foi feita em conversa com a gestora Institucional do Pontão de Cultura Navegar Amazônia. Em prosa acompanhada de um bom vento, falamos sobre projetos e parcerias. Ambas as entidades atuam na educomunicação e apropriação digital, principalmente na região amazônica. Concluimos,  foi de extrema importância fazermos uma intercomunicação entre os projetos Rede Amazônica de Comunicadores Comunitários – REDECOM (Argonautas) e Tv Navegar (Navegar Amazônia).
Outra parceria que se fortaleceu foi com o Ponto de Mídia Livre Viva Favela que também tem um importante trabalho de inclusão digital para jovens moradores de comunidades de baixa renda. Em conversa com um dos coordenadores do projeto, falamos sobre a possibilidade de fazer um intercâmbio entre os pontos de cultura e articular para ambos colaborarmos nos projetos de inclusão digital, compartilhando conteúdos e metodologias.
O projeto REDECOM articula os comunicadores comunitários capacitados nas oficinas de comunicação comunitária e cursos de comunicação popular em uma rede de produção de informação e comunicação colaborativa. As ações terão base a infraestrura montada nos infocentros do Navegapará, laboratórios de escolas e em pontos de cultura. Essa interação tem como objetivo de aprofundar pesquisas e práticas de comunicação comunitária em rede. Para isso serão criados meios de comunicação popular colaborativos, como webradio, webtv e blog, articulados em formato de rede social. Um dos objetivos é dá um salto de qualidade nas ações de inclusão digital para além da informática básica e disseminar o uso de plataformas livres.
As metas do projeto prevêm a realização de curso à distância sobre Redes Sociais distribuídas; a realização de oficinas de produção em audiovisual visando a criação e gestrão de programas de webradio e webtv.

Intervozes – Levante sua voz

Publicado: 5 de janeiro de 2010 em Geral

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

more about “Intervozes – Levante sua voz“, posted with vodpod

  • Vídeo produzido pelo Intervozes Coletivo Brasil de Comunicação Social com o apoio da Fundação Friedrich Ebert Stiftung remonta o curta ILHA DAS FLORES de Jorge Furtado com a temática do direito à comunicação. A obra faz um retrato da concentração dos meios de comunicação existente no Brasil.

    Roteiro, direção e edição: Pedro Ekman
    Produção executiva e produção de elenco: Daniele Ricieri
    Direção de Fotografia e câmera: Thomas Miguez
    Direção de Arte: Anna Luiza Marques
    Produção de Locação: Diogo Moyses
    Produção de Arte: Bia Barbosa
    Pesquisa de imagens: Miriam Duenhas
    Pesquisa de vídeos: Natália Rodrigues
    Animações: Pedro Ekman
    Voz: José Rubens Chachá