Arquivo de 22 de julho de 2009

Coletivo Samauma faz jornada arte educacional em três comunidades de Soure, Marajó.

Por Jovens Ambientalistas Argonautas

Fotos Jornada Arte Educacional (Ver Fotos)

Incentivar os alunos a relacionar o que aprendem na escola com a própria vida e fazer conexões entre vários temas. O Coletivo Samauma núcleo de Arte Educação Ambiental dos Jovens Ambientalistas Argonautas compartilham esta visão de interdisciplinaridade em suas experiências pedagógicas. Em parceria com educadores e líderes das comunidades do Pesqueiro, Céu e Caju-una no município de Soure, Marajó (PA), o grupo apresentou a peça ‘Seres Animados’ parte do projeto de Arte Educação Ambiental: Unindo Saberes Compartilhando Cidadania.

O Coletivo Samaúma com a peça ‘Seres Animados’ aborda algumas das problemáticas locais, como exemplo; a pesca predatória somada a poluição dos rios, os manguezais sofrem impactos, ficando sem caranguejos; as praias estão cheias de lixo e os peixes estão sumindo. As músicas educativas fazem com que as crianças e jovens reflitam sobre os problemas ambientais que o mundo esta sofrendo, conta Rafael de Rivera, coordenador Pedagógico do Projeto.

A Arte Educação Ambiental acontece de forma lúdica, através do diálogo de quatro personagens: Semente (Rafael de Rivera), Raiz (Samir Raoni), Flor (Elisângela Pinheiro) e Esfera (Adam Max). Estimular as crianças e jovens a refletir e assumir o seu futuro, onde a educação possibilitará a construção do seu projeto de vida, fazendo cada pessoa reconhecer-se como potencial transformador da sua realidade é um dos objetivos, conta Samir Raoni, coordenador de Educação Ambiental do Projeto.

Ler mais>>

Roda de Conversa Belém

Veja as fotos da Roda de Conversa (Ver Fotos)

A Roda de Convivência e Cultura de Paz chegou à Belém do Pará, cidade considerada o Portal da Amazônia, em 17 de outubro para desenvolver a atividade no Ponto de Cultura Argonautas. Os Argonautas surgiram nos anos 90, em uma conjuntura de intensos debates e abertura da sociedade civil para a questão ambiental na Amazônia, no contexto da Eco 92. De 1989 a 1991, a realização de Encontros Nacionais Estudantis na Universidade Federal do Pará e Universidade Federal do Maranhão e o Encontro Nacional dos Povos da Floresta (coordenado pela CUT-CPT-CDDH) para discutir a questão, deram origem ao núcleo ambientalista que formou os Argonautas, em agosto de 1992 e lançou o Manifesto Eco-universitário no campus da UFPA. A atividade sensibilizou militantes dos movimentos sociais e chamou a atenção para a necessidade da sociedade civil local em se articular e participar ativamente das discussões de ações de defesa do meio ambiente e da Amazônia, mobilizando a comunidade para a consolidação da cidadania, da democracia participativa e do desenvolvimento sustentável.

A equipe das oficineiras chegou à Belém em um momento fundamental na história da cidade e de seus moradores: o período da celebração do Círio de Nazaré. Expressão de fé adotada pelo povo paraense que se destaca pela romaria dos fiéis, exibe também apresentações de músicas e danças. Conforme o relato dos próprios paraenses, participantes da Roda de Convivência, o Círio é um pedido de Paz ao Mundo; uma manifestação de alegria e gratidão na perspectiva da fé cristã, devoção e calor humano. Reflete a magnitude de uma festa popular considerada mais importante que o próprio Natal, no qual todos transcendem a própria humanidade em louvor e entrega ao sagrado, via feminino, concretizado na imagem da Nossa Senhora de Nazaré.

Ler mais>>